Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
A MULHER E A ADMINISTRAÇÃO
A MULHER E A ADMINISTRAÇÃO

                       A MULHER E A ADMINISTRAÇÃO

 

 

            A mulher que vemos hoje é bem diferente da de décadas atrás e o seu papel no mercado de trabalho também tem mudado muito nos últimos anos.

            Hoje ela é o que quiser ser e cada vez mais ocupa cargos antes imagináveis. Quem poderia imaginar que aquela mulher submissa, voltada apenas para a família e a casa poderia chegar a cargos importantes, e o que é melhor, com competência e maestria.

            Essa trajetória de transição não foi fácil, foi árdua mesmo. Romper barreiras nunca é fácil, Principalmente romper com tabus, preconceitos, resistências e tradições.

            Ao longo do tempo ela foi explorada e humilhada, porém com sabedoria e determinação, vem conquistando o seu espaço, mostrando que é capaz sim, de ocupar cargos importantes e competir de igual pra igual com os homens. Embora ainda se divida entre a família e o lar, já ocupa cargos em diversas áreas, em empresas privadas e órgãos públicos, exercendo funções, que até pouco tempo, só era exercido por homens. Em um universo ainda machista, já se vê, de forma “natural” uma mulher trabalhar na construção civil, dirigir ônibus ou caminhão, pilotar avião, ir para o espaço, ser gerente, diretora, prefeita, senadora e até presidenta. Tudo isso sem deixar de ser esposa e mãe.

            Embora a Organização Internacional do Trabalho (OIT) (apud CARREIRA ET AL, 2001, p.32), tenha dito que, “ as mulheres chegarão à igualdade de condições com os homens, se as conquistas continuarem no ritmo atual, somente daqui a 470 anos”,  ela vem se destacando cada vez mais, principalmente em cargos de chefia, onde administra com seriedade e competência. Segundo estudo da Great Place to Work (fonte: http://www.greatplacetowork.com.br), nas 100 melhores empresas para trabalhar no Brasil, 36% dos cargos de liderança são ocupados por mulheres. Parece pouco, mas, se lembrarmos que até pouco tempo à trás elas não podiam nem votar, constatamos esse grande avanço.

Administrar para a mulher não é um fardo, é mesmo familiar, pois, durante muito tempo ela foi criada para administrar sua casa e sua família, que não é muito diferente de uma empresa, ao compararmos as cobranças do marido e dos filhos, a competição acirrada entre eles para chamar sua atenção, cada um pedindo algo diferente ao mesmo tempo, durante uma jornada muito pesada, consegue atendê-los, com carinho e dedicação. Talvez por isso ela se sinta tão à vontade e se destaque tanto em cargos administrativos. Sua competência, criatividade, dedicação, intuição, capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo e de lidar com conflitos,  aliados a seu jeito humano e conciliador, faz dela um profissional multi tarefa, mais humanizado, com facilidade de se relacionar, gerando um ambiente de trabalho mais favorável e produtivo.

            Talvez por isso hoje muitas são as mulheres que se destacam, ocupando cargos importantes no Brasil e no mundo. Mulheres como Margareth Thatcher (1ª. Ministra- Grã-Bretanha), Angela Merkel (Chanceler Alemã), Indra Nooyi ( Presidenta da PepsiCo), Cristina Kirchner ( Candidata a Presidenta da Argentina), Ursula Bruns ( Presidenta da Xerox – EUA), Condoleezza Rice ( Secretária de Estado – EUA ), Andrea Jung (Presidenta da Avon Produts), Hillary Clinton ( Secretária de Estado – EUA), Michelle Obama (Primeira dama – EUA), Ellen Gracie (Ex- Ministra do Supremo Tribunal Federal – Brasil), Viviane Senna ( Presidenta da Fundação Ayrton Senna – Brasil), Teresa Campello ( Ministra do Desenvolvimento Social – Brasil), Silvia Lagnado ( Vice – Presidente Sênior – Unilever ),  Marta Suplicy ( Senadora – Brasil ), Maria da Penha Maia Fernandes ( Líder de movimentos de defesa dos Direitos das Mulheres – Brasil ), Silvana Monteiro ( Gerente de marketing do Boulevard – Feira de Santana), Conceição Aranha ( Gestora de Atendimento ao cliente da Coelba – Feira de Santana),
e não poderíamos deixar de citar, Dilma Rousseff ( Presidenta do Brasil ).

            Dilma Rousseff a primeira mulher a chegar ao cargo de Presidenta do Brasil é um exemplo de mulher de fibra, determinada, com uma história de vida incrível, que embora formada em economia, possui grande conhecimento em gestão e administração, e esteve presente em vários momentos da administração pública de vários governos, dentre eles, o do governo Lula, onde foi peça fundamental, à frente da Casa Civil, como Ministra-chefe.

A eleição de Dilma Rousseff, é a prova de que vivemos um momento promissor, na escalada rumo a igualdade entre homens e mulheres, no âmbito profissional e político, onde ansiamos por um novo modelo de gestão pública, onde a mulher e administradora, tenha uma maior participação nas decisões.

 Segundo estudo da Catho Online, mesmo quando exercem o mesmo cargo, as mulheres ainda ganham, por ano, 19% a menos que os homens, o que prova que mesmo diante de tantos avanços, a desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho ainda é muito grande.

Não importa ser homem ou mulher, para administrar com competência é necessário que haja integração, saber fazer escolhas e muita atitude, e os homens que me desculpem as mulheres tiram isso de letra.

 

 

 Joana D’Arc Rios Guirra – Administração Unifacs -  3º. Semestre

Enquete
O que você acha do curso de Administração?
Bom!
Regular!
Péssimo!
Ótimo
Ver Resultados




ONLINE
1





Partilhe este Site...